Mayweather encerra invicto carreira de 50 lutas e R$ 3,1 bi

Na luta do dinheiro (R$ 411 milhões de luvas), venceu o “Money”. Contra tudo e contra todos, Floyd Mayweather cumpriu o que prometeu. Com uma performance dominante a partir do quarto round, o americano venceu por nocaute técnico a 1m05s do décimo assalto um surpreendente irlandês Conor McGregor e manteve a invencibilidade no boxe profissional. Voltando após dois anos de aposentadoria, o americano não se importou com as vaias na T-Mobile Arena, estudou o adversário nos quatro primeiros rounds, quando foi atacado, e daí em diante ditou o ritmo contando com o cansaço do irlandês. Ainda em cima do ringue, Floyd, agora aplaudido, anunciou que está definitivamente aposentado após voltar a nocautear, o que não acontecia desde 2011, contra Victor Ortiz.

Ele é um competidor muito duro, eu acho que demos aos fãs o que eles gostariam de ver. Ele foi muito melhor do que eu achei que era. Essa foi a nossa estratégia, deixar ele jogar os golpes mais fortes no começo e cansá-lo. Eu dei a minha garantia de que essa luta não iria para a decisão. Essa é a minha última luta, senhoras e senhores, com certeza – disse Floyd, que entrou na arena com roupas negras e uma máscara que só deixavam os olhos e lábios à mostra.

Com a vitória, Mayweather não apenas engorda ainda mais a conta bancária, chegando a aproximadamente US$ 1 bilhão na carreira, como também amplia seu cartel invicto. Agora são 50 triunfos e nenhuma derrota. Apesar de ter citado várias vezes que não contaria essa luta para seu recorde, ele ultrapassa a lenda Rocky Marciano, que teve 49 vitórias e nenhuma derrota na carreira. O nocaute dá ao americano o “Money Belt”, mais um na sua coleção, uma cinta feita com pedras preciosas especialmente pelo Conselho Mundial de Boxe para a luta.

– Ele não é tão rápido e tão forte, mas como ele é sereno na luta, eu achei que estava equilibrado. Acho que o juiz interrompeu muito cedo. Eu fico um pouco cambaleante quando estou cansado. Aquilo era fadiga. Eu não tinha me entregado. Ninguém assume esse tipo de risco. Deixa o cara me derrubar. Eu o dominei nos primeiros rounds. Ele tinha que me nocautear, não sei como me sentir agora. Vamos ver o que acontece, agora vou me divertir – disse McGregor sobre se continuará sua carreira no boxe, para depois garantir que retornará ao UFC. O irlandês entrou no ringue com os dois cinturões do UFC, apesar de não ser mais o campeão peso-pena.

McGregor começa melhor, mas Mayweather domina depois

Vestindo branco, Conor McGregor tratou de mostrar desde o soar do gongo que não estava lá para brincadeiras. O round inicial teve exatamente a ação esperada. Conor encurralou Floyd nas cordas e soltou boas sequências. Mayweather dançou pelo ringue e procurou apenas se defender. Vendo que o rival não atacava tanto, o irlandês chegou a abaixar a guarda e colocar as mãos para trás, zombando. A torcida foi ao delírio e gritava: “Olê, Olê, Olê, Olê, Conor, Conor”. No replay do round, os golpes conectados pelo campeão do UFC tiravam aquele “Uhhhh”.

No nono assalto, McGregor chegou a bater em Mayweather quando o árbitro dava orientações para os dois. Na metade da ação, o americano tomou a iniciativa e Conor chegou a se escorar em Floyd após levar uma combinação. Com um minuto final dominante, Mayweather ficou perto do nocaute técnico e o gongo pareceu ter salvado o irlandês. Na volta, Mayweather seguiu com os ataques, teve sequências precisas de golpes e fez o árbitro interromper o combate por nocaute técnico no décimo round. Ao perceber a vitória, Mayweather correu para as cordas e comemorou muito.